Arquivos do Blog

Eu sinceramente não te desejo felicidade nenhuma. Esperar essa maturidade de um ser inacabado como eu seria superestimar minhas qualidades e, francamente, hipocrisias morais nunca foram meu forte.

Nota | Publicado em por | Deixe um comentário

Eu sinceramente não te desejo felicidade nenhuma. Esperar essa maturidade de um ser inacabado como eu seria superestimar minhas qualidades e, sinceramente, hipocrisias morais nunca foram meu forte. 

Nota | Publicado em por | Deixe um comentário

Reinventar o passado para que nele só caibam nossas melhores memórias (aquelas alteradas em nosso favor) é dicotômico: serve de consolo porque viabiliza uma existência sintética na qual conseguimos conviver com nossos piores erros mas, ao mesmo tempo, enseja uma … Continuar lendo

Nota | Publicado em por | Deixe um comentário

O incômodo que surge pelo fato de você continuar vivo não necessariamente implica num desejo que você morra. É mais um receio de que um dia você reapareça. 

Nota | Publicado em por | Deixe um comentário

Falar de si era um desafio porque ela pouco se conhecia: era dura, crua, introspectiva e um pouco triste, também. Qualquer pergunta sobre sua personalidade logo desencadeava horas do mais rico trabalho imaginativo mas não porque ela tivesse algo a … Continuar lendo

Nota | Publicado em por | Deixe um comentário

Ele hoje chorava porque metade de si mesmo não lembrava de tudo e a outra metade – embora astuta, relutante – fazia questão de não se lembrar de nada.

Nota | Publicado em por | Deixe um comentário

Te olho no espelho de cima a baixo e te pergunto o que você quer fazer da sua vida. Você desvia o olhar e, silente, guardo em mim as piores conclusões possíveis sobre suas chances futuras.

Nota | Publicado em por | Deixe um comentário